Saturday, 18 July 2015

A outra face do Marquês

Que o Manjar do Marquês é uma referência para os que viajam de norte a sul do país, não é nada de novo. Porém nem todos conhecem a outra face do Marquês. É muito facil lá chegar: dirija-se ao sítio do costume e entre ... no entanto em vez de virar à esquerda faça a curva à direita. Keep calm, está em casa.




Nome: Manjar do Marquês
Data da visita: Julho de 2015
Localização: Pombal, à face do IC2
Comentário: por regra não faço posts de repetecos. Porém, isto não é um repeteco. Dos inúmeros stops que fiz no Manjar do Marquês, nunca tinha feito uma visita à sala de jantar. Quem conhece o spot sabe que à esquerda existe uma sala onde se pode petiscar o famoso arroz de tomate malandrinho com fritos diversos a acompanhar. O que poucos, provavelmente experimentaram é a sala de jantar que existe do lado direito logo à entrada. A decoração, ao contrário do ambiente rustico da outra sala, é quase cerimonial, fazendo lembrar um clube de cavalheiros dos anos 40. Sentimos o peso da história desta casa. Existe uma carta, repleta de sugestões de cozinha tradicional portuguesa, tanto de peixe como de carne. O afamado arroz e panado é também opção deste lado. A escolha recaiu sobre os rojões com murcela de arroz e migas com nabiças. Ficará para sempre gravado na minha memória o perfume a especiarias que amanou quando o pitéu foi deposto na mesa. E se o aroma prometia, o sabor comprovou ... simplesmente delicioso. A carne do porco era macia e húmida e as migas, com as nabiças bem envoltas em nacos de pão e feijão frade casaram na perfeição .
Aqui também é possivel beber o vinho do mês a copo, que como já tive oportunidade de comentar é sempre bom, mesmo quando de marcas desconhecidas. Desta, o oferta era um tinto alentejano de nome Anas, da Herdade do Sabroso. Não resisti no entanto a dar uma vista de olhos na carta de vinhos ... e surpresa. É uma carta de luxo e muito bom gosto, mesmo! A titulo de exemplo, marcas como Quinta Vale Dona Maria tinto 2009, Vale Meão tinto, Brunheda vinhas velhas 2003 ou Pape 2011 do Dão fazem parte da oferta disponível. E o melhor é que os preços são muito próximos do que se encontra no retalho. Em quantos sítios, se pode beber um Pape 2011 por 25€?!?
Mais uma vez, e com muita pena minha, deixei de parte as sobremesas. Terão de ficar para uma visita futura que seja em viagem de lazer.
Para finalizar, uma boa surpresa: a dolorosa ronda os 15€/pax para comensais XXL. Para comensais, que consigam partilhar uma dose, ainda ficará mais em conta. Ou seja, pouco mais do que pagarão na sala da esquerda.
Repeteco? Garantido. Agora terão de me aturar à vez em cada sala.




2 comments: