Friday, 1 January 2016

Tradição com inovação em Leiria

O dia era de viagem, logo uma janela de oportunidade para conhecer mais um sítio, para referencias futuras. A zona, o Oeste, concretamente Leiria. Armado com o tripadvisor no smartphone e depois de avaliadas as sugestões, a escolha foi para uma casa, que pelas avaliações aparentava ser consensual.




Nome: Casinha Velha
Localização: Leiria
Data da visita: Dezembro de 2015
Comentário: a Casinha Velha, não é bem em Leiria...é em Marrazes, que fica a poucos kms da cidade. Seguindo as intruções do GPS somos encaminhados para a morada, para me aperceber que a Casinha Velha, é vizinha do mítico spot da região, o Tromba Rija. Quem conhece a zona sabe portanto, que o estacionamento é caótico. A localidade é uma típica aldeia portuguesa, com ruas estreitas e sinuosas, com largura suficiente para um trator. Só a afluência ao Tromba Rija, é mais do que suficiente para consumir todo e qualquer espaço livre nas redondezas. Ultrapassada a primeira etapa do estacionamento, seguimos em direção ao objetivo que cá nos trouxe. O restaurante é como o nome sugere, uma casa à antiga de dois pisos. A decoração interior é rústica e tradicional, que transmite uma sensação acolhedora. Um elemento que rapidamente chama à atenção é a garrafeira exposta por todo o local. Imensa e muito diversificada, com nota especial para a variedades de champagnes (além de espumantes nacionais, há uma panóplia de champagnes franceses), devidamente armazenados em arcas refrigeradas para armazenamento de vinhos. Aliás, os vinhos são um trunfo da casa, tanto pela diversidade, qualidade e pelos cuidados apropriados no que toca ás temperaturas de serviço e respetivos copos. Uma troca de palavras com o staff permite rapidamente verificar a preparação e formação no tema. Nota positiva, portanto para no que à carta de vinhos diz respeito. É notório o cuidado na preparação das mesas, desde as toalhas impecávelmente dispostas à loiça utilizada. Logo para o arranque, é disponibilizado aos comensais uma serie de entradas, com especial nota para uma tábua de queijos e enchidos de produção 100% nacionais, uma cesta de pão e pão com chouriço acabado de fazer e um prato de presunto de porco preto. Tudo de excelente qualidade e com exímio cuidado na preparação. Para prato principal e seguindo a sugestão do staff a escolha foi para o arroz de pato, tido como uma das especialidades da casa. A sua forma de confecção é inovadora com o uso de pinhões, passas e ananás com o toucinho de porco cortado de forma quase artística. O prato estava bem muito confeccionado com o arroz cozido no ponto sem estar nem seco nem gorduroso de mais. Pessoalmente, para arroz de pato prefiro a abordagem mais tradicional, pelo que não este não será para mim o melhor arroz de pato. Vinho a copo, faz parte da oferta da já anteriormente elogiada carta de vinhos da Casinha Velha. Há bastante oferta tanto de brancos, tintos e espumantes/champagnes. Os preços no entanto, são para o proibitivo. No vinho a copo, não há nada a menos de 5€/copo. Nas garrafas, os valores são os 4x a 5x o valor do retalho, e nas centenas de referências (sim, a carta tem seguramente centenas de marcas nacionais e estrangeiras de todos os estilos disponíveis), muito poucas há abaixo dos 20€. Para o dia a escolha foi para um branco do Dão, a copo, cuja marca não retive, da casta encruzado de um pequeno produtor a iniciar-se. Devido à agenda apertada, a juntar ao facto do serviço não ser propriamente rápido (não é uma critica...quem vem à Casinha Velha, não deve ter restrições de tempo, pois o cuidado na elaboração dos pratos assim o exige) tivemos de saltar a sobremesa e mesmo o café,... com muita pena, admito já, pois os descritivos da carta e o preview das outras mesas, adivinhavam momento de excelência.
Diz o ditado popular, que na melhor toalha cai a nódoa que no caso da Casinha Velha são os preços praticados. Apesar da qualidade, um valor a rondar os 30€/pax, sem sobremesas e em que as bebidas além de água foram dois copos de vinho é excessivamente elevado. Num repasto standard com sobremesas, vinhos e café disparará certamente para valores superiores a 40€/pax. O prato de presunto, acima mencionado custa a módica quantia de 10€! Tem qualidade, sem dúvida, mas estamos a falar de um pequeno prato com uma dúzia de pequenas fatias. E isto sem sequer tocarmos na tábua de queijos e enchidos, que soube posteriormente que funciona numa lógica de peso o cliente paga ao peso o que consumiu. Em suma, a Casinha Velha é um restaurante que prima pela excelência dos seus produtos e pela qualidade da sua cozinha. Porém pratica preços excessivamente elevados, onde tudo é pago ... exemplo disso, os 2.50€ por um prato de azeite, para molhar o pão, que não continha mais do que um dedal.
Repeteco? dada a politica de preços, é pouco provavel que as visitas à Casinha Velha sejam frequentes. Se os preços fossem cerca de 30% mais baixos, estariamos perante um melhores sítios da região...

1 comment:

  1. Terra rica ...na sua gastronomia....prato com boa apresentação.

    ReplyDelete