Monday, 1 May 2017

Na cidade dos arcebipos

A narrativa que hoje aqui vos trago decorre na mui antiga e bela Bracara Augusta, atualmente conhecida por Braga, a cidade dos arcebispos. Uma pequena nota antes de avançarmos para a memória descritiva de mais um fight: Braga é uma cidade de que gosto particularmente! Compacta e não muito grande, que permite circular sem grandes preocupações de gestão de tempo e distâncias, como acontece com Lisboa ou o Porto, mas ou mesmo tempo é um cidade que tem TUDO: animação, vida noturna, cultura, economia  e acima de pessoas. E fazendo jus ao seu papel de capital do Minho, possui uma imensa diversidade de spots gastronómicos, do mais tradicional ao mais internacional e vanguardista. Enfim, deixo a dica para visitarem e formarem a vossa própria opinião.





Nome: Migaitas Salão Champagne
Data da visita: Dezembro de 2016
Localização: Braga, perto do centro
Comentário: O Migaitas Salão Champagne está integrado no edificio do Hotel Villa Garden, a minutos a pé do centro histórico de Braga, um palacete do século XIX imaculadamente recuperado, sendo que o restaurante é acessível do exterior e aberto ao publico geral. O espaço é amplo, com chão em soalho e uma decoração contemporanea, e mesas redondas dispostas pelo espaço. Chamo a atenção que este fight decorreu em Dezembro, precisamente na semana anterior ao Natal, que como sabem é o periodo em que tipicamente decorrem os jantares de Natal de empresas e grupos de amigos. Essa imagem estava refletida na configuração da sala nessa noite, composta essencialmente por grupos, alguns razoavelmente numerosos ... e o motivo pelo qual assumo já que foi um jantar desconfortável e não fosse o facto da comida ser realmente boa, um desastre completo. É que pelas 22h os decibeis na sala, rondavam o medicamente desaconselhável e já havia inclusivé grupos de pé o tempo todo aos berros a fazer o sempre rídiculo "e quem não bebe não é da malta...". Bom, mas falemos da comida.
Umas simples azeitonas e pão para molhar em azeite, enquanto analisava a carta, que continha alguma referências de peixe e carne, onde podiamos optar entre pratos mais tradicionais da cozinha portuguesa e outros mais internacionais. Um houve que me chamou a atenção e despoletou interesse imediato: o Bife Wellington. Quem não conhece, é um naco de carne de vaca de 1º categoria, mal passada e envolta em massa folhada. Nesta versão, era ainda regado com um molho espesso que me pareceu ser à base de queijo. Acompanhava com grelos e batata frita. Nada de mal a apontar, muito pelo contrário: a carne era de primeirissima qualidade e cozinhada no ponto, mais para o crú, como é da minha preferência e todo prato estava repleto de sabor. Like! Para acompanhar este portento, uma 0.37cl de Esteva, um valor seguro vindo do Douro. Sim, estava no Minho e mandei vir Douro ... vai contra os meus principios, verdade...mas era a unica opção para uma 0.37cl ... caso contrário teria de tratar de uma 0.75cl a solo, o que não sendo impossível, não era o espírito da noite. Se bem que talvez tivesse sido uma forma de "amortecer" o barulho imenso que toda a refeição se fez sentir ... ou de conseguir ignorar o constante movimento de pessoas a circular entre as mesas ...
Para finalizar, decidi seguir a sugestão do empregado, um doce da casa, que vim a verificar ser à base de café. Estava bom e era visivelmente caseiro e bem confeccionado.
Em suma, nada tenho de mal a dizer sobre a comida, muito pelo contrário, mas o ambiente foi do pior a que já assisti na minha vida adulta ... só faltava alguem a vomitar, para ser uma viagem aos jantares de curso nos tempos da faculdade. Quero porém acreditar, que tive azar no dia, pois tudo no local aponta para ser um sítio calmo, integrado num dos melhores hoteis de Braga.
A conta? Ficou na casa dos 25€/pax, que não sendo um valor propriamente em conta, está alinhado com a qualidade proporcionada ... claro que tive que juntar os € da consulta do rastreio audittivo que tive de fazer depois, mas isso não conta...
Repeteco? Enquanto me lembrar da experiência tenho dúvidas que sinta vontade de voltar, mas não deixe o leitor/comensal de ver por si, pois no que à qualidade da comida diz respeito nada a apontar e pode ter-se dado o caso de ter tido um azar monumental motivado pela altura do ano.


Aproveite para seguir o Lambetacho no Bloglovin    Follow

No comments:

Post a Comment